Qual é o mínimo para investir em Ações?

Esta é a pergunta que mais vezes recebi desde que iniciei o Borja on Stocks em 21 de agosto de 2015.

A resposta é difícil porque é subjetiva, ou seja, depende de quem a faz, nomeadamente, do seu nível de Riqueza e de Rendimento, mas também do perfil de risco.

Responder que “é subjetivo” é uma forma fácil e confortável de fugir à questão, porém a necessidade de resposta permanece, principalmente nestes tempos em que tantas outras atividades se confundem com investimentos em ações.

Nos últimos tempos tenho sido contactado por jovens que querem investir em ações, mas infelizmente não têm recursos financeiros minimamente suficientes. Já me vieram falar em investir com 100 €, com 50 € e mais recentemente, imagine-se, com apenas 10 €!

Louva-se a intenção de investir em ações, a ideia é boa, mas é preciso ver que investir em ações não é o mesmo que apostas desportivas, ou jogos de casino, ou jogar no euromilhões, ou na raspadinha… nas ações não se pode chegar ali, pôr 10 € e ver se dá alguma coisa!

O mercado de ações é para quem tem algum capital acumulado ou grande capacidade de poupança e investimento.

Então fica a questão: qual é o valor mínimo para investir em ações?

Eu diria que o mínimo será sempre uma função dos custos de operação e que os custos de operação anuais não deverão ultrapassar os 2% do capital total:

Valor Mínimo para investir em Ações = Custos de Operação / 0,02

Numa corretora nacional de ações as comissões de corretagem rondam os 5 a 6 € por transação. Num banco podem ser muito superiores, depende do banco. Se for comprar 100 € em ações (ações essas que depois eventualmente irá vender), estará logo a perder 10 a 12% do seu investimento em comissões de corretagem e isso não pode ser!

Atenção que o Borja on Stocks é independente de todas as instituições financeiras, não recomenda qualquer intermediário financeiro e nunca recebeu 1 euro de patrocínio ou qualquer outro esquema de remuneração de uma instituição financeira.

De qualquer modo vou revelar que, pessoalmente, invisto em ações através de dois intermediários financeiros, o Banco Santander e a corretora DeGiro.

No Banco Santander é possível comprar ações nacionais com comissão de 0 €, para quem cumpre uma série de exigências da conta 123, porém esta conta tem uma comissão de gestão de 5,25 €/mês e para as ações estrangeiras a comissão é de 10 € na compra mais 10 € na venda. Bastante oneroso, portanto.

Na DeGiro, que é uma corretora holandesa low cost, a comissão sobre ações nacionais é de 0,5 € + 0,058%. Na compra. Depois aplica-se o mesmo cálculo na venda. Isto já é mais aceitável para um micro investidor, porém nas ações estrangeiras a DeGiro já cobra bastante mais.

A DeGiro também tem uma comissão de gestão anual de 2,5 € por bolsa (máximo de 0,25% do Capital Total), mas que não se aplica ao mercado doméstico.

Imaginando que um investidor faz duas transações por mês, que só investe em ações nacionais e que tem conta na DeGiro, se quisermos que o custo com comissões seja apenas 2% do seu capital total, qual é o mínimo absoluto com que deve começar a investir em ações?

X = (2*0,5*12 + (2*0,00058*X)) / 0,02

<=> 0,02*X = 12 + 0,00116*X

<=> 0,02*X – 0,00116*X = 12

<=> 0,01884*X = 12

<=> X = 636,94

Estou agradavelmente surpreendido por ser tão pouco, um micro-investidor pode começar, racionalmente, a investir em ações com um capital inicial de apenas 640 €.

Infelizmente o serviço que presto no Borja on Stocks, de análise e aconselhamento (não personalizado) de investimento em ações, custa 20 € por mês, ou 240 € por ano!

Atirando com os 240 € para a equação, chego ao valor mínimo que um investidor deve ter para ser economicamente racional subscrever o Borja on Stocks:

X = (240 + 2*0,5*12 + 2*0,00058*X) / 0,02

<=> X = 13 376 €

Só a partir dos 13 376 € é que os custos do serviço, mais os custos de comissões de corretagem, são inferiores a 2% do capital total.

Claro que há quem subscreva apenas com fins didáticos, ou para aprender sobre Análise Fundamental de Ações, mas esses são uma minúscula minoria. Eu obviamente não os impeço, desde que tenham consciência dos custos…

Para investir mesmo nas ações que recomendo deverá fazê-lo com pelo menos 13 376 €, ou pelo menos ter a expetativa de vir a ter esse montante para investir em ações nos próximos 12 meses.

Senão mais vale deixar o Borja on Stocks de lado e investir só por si. Naquilo que eu puder ajudar de forma gratuita, estou ao dispor. Por exemplo, tem aqui o Mini-Curso de Análise Fundamental de Ações.

Eu disse que não queria todos, que só queria alguns, nomeadamente aqueles que poderão retirar muito mais benefícios que custos do serviço.

Se você for um micro-investidor em ações, contra mim escrevo, mas, pelo menos nesta fase da sua carreira, o Borja on Stocks não é para si.

De qualquer modo, obrigado pela atenção e desejo-lhe bons investimentos em Ações individuais!

Pesquisar

Receba o E-book GRÁTIS

SIGA-nos

JUNTE-SE AO NOSSO Grupo NO Facebook

Receba a nossa Newsletter Gratuita

Receba as notícias e novidades do Borja On Stocks no seu email.