Corticeira Amorim de volta ao TOP10 Lisboa

1. Contexto Histórico

A Corticeira Amorim já foi analisada por 17 vezes no BoS e proporcionou uma mais valia de 101,1% ao TOP10 Lisboa. Sendo a única empresa cotada na Euronext Lisboa que é líder económico mundial na sua indústria, deveria ser presença obrigatória no TOP10 Lisboa, porém a preocupação com a pressão nas margens devido à escassez da matéria prima e correspondente subida do preço prejudicou a história de investimento.

Vou reler as três análises publicadas em 2019:

Estas análises revelam interesse misturado com hesitação.

Vou reler também os documentos relativos ao 3º trimestre 2019:

2. Perspetivas

Já sabíamos que os resultados em 2019 iriam ser fraquitos, por causa da subida do preço da cortiça e efetivamente a Margem Bruta desceu para apenas 45,8% no 3º trimestre e o EPS desceu 19,1% para 0,112 €:

Nos primeiros nove meses o EPS desceu 7,1%, para os 0,409 €, o que anualizado dá 0,545 €. Os analistas que seguem a Corticeira Amorim antecipam um EPS de 0,53 € em 2019:

Com a cotação atualmente nos 9,93 €…

…o PER19 anda pelos 18 – 19. Porém para 2020 os analistas já esperam um EPS de 0,62 €, pelo que o PER20 está nos 16.

Apesar da compressão das margens nos últimos dois anos…

…que é transversal a todas as Unidades de Negócio…

…existem duas pistas na apresentação aos investidores que permitem antever um 2020 significativamente mais lucrativo. A primeira tem a ver com o preço da colheita de cortiça em 2019, que irá ser incorporado em 2020, que terá descido 6 a 7%:

A quantidade ter sido mais elevada em relação a 2018 também é um fator positivo.

A segunda pista é a seguinte:

Pelos vistos, em setembro, a Corticeira introduziu uma tecnologia nova que lhe permite aumentar o yield e as margens da cortiça, o que para mim significa fazer mais com menos, ou seja, fazer mais rolhas, ou de melhor qualidade, com menos cortiça.

Estas duas pistas são suficientes para eu ultrapassar a hesitação e voltar a adicionar a Corticeira Amorim ao TOP10 Lisboa.

Em termos de curto prazo sinto confiança porque, mesmo em dois anos maus (2018 e 2019), o Lucro por Ação aguentou-se bastante bem. E as perspetivas para 2020 são positivas… um PER20 de 16 é pouco para uma empresa líder económico mundial na sua indústria com elevadas barreiras à entrada. Não seria nada difícil justificar um PER20 de uns 24, ou seja, 50% acima do atual.

Em relação ao longo prazo, tenho esperança que um mix de tecnologia e fortes investimentos na plantação de sobreiros, aliados à técnica da fertirrega, permita à Corticeira Amorim passar a controlar mais a matéria prima e será isso que lhe trará barreiras à entrada praticamente intransponíveis. É possível que as preocupações com o ambiente e a pegada ecológica proporcionem mais procura pelas soluções de materiais de construção da Corticeira, mas é uma área onde não tenho grandes expetativas. Em relação à ameaça das rolhas de vidro, enfim, há séculos que as rolhas são principalmente de cortiça (o meu sogro diz que o vidro não deixa o vinho “respirar” e que por isso não presta como vedante – enfim, eu percebo pouco de vinhos, só sei que gosto de beber um copo de tinto à refeição), pelo que será muito pouco provável haver uma grande mudança neste domínio… de qualquer maneira a Corticeira adquiriu 50% do capital da Vinolok, o que lhe permitirá estar bastante por dentro desses desenvolvimentos.

Nesta análise…

…produzi estimativas a curto e a longo prazo para a Corticeira Amorim. Relembro frases fortes dessa análise:

Estas estimativas traduzem-se numa cotação de 11,37 € no final de 2020 e de 13,55 € no final de 2021.

Paralelamente a Catarina viu que este novo sistema fertirrega permite obter cortiça ao fim de 8 anos (em vez dos habituais 25) e, mais importante ainda, cortiça boa para rolhas ao fim de 12 anos, em vez dos 43 que era costume demorar.

Nos últimos dez anos as Vendas cresceram à taxa média anual de 6,6%…

…e, pensando que crescem ao ritmo de 5% ao ano nos próximos 15 anos, serão de 1 644 M€ em 2035. Se efetivamente a margem líquida for de 20% o Lucro será de 329 M€ e aplicando um PER de 18 obtenho um Valor de Mercado de 5 922 M€, ou 44,53 € por ação.

3. Conclusão

A Corticeira Amorim vai entrar no TOP10 Lisboa, com 10% do capital como mandam as regras, à cotação de fecho de hoje. O PAQVH fica nos 44,53 € por ação.

4. Disclaimer

Esta publicação é para efeitos meramente informativos e educacionais e não deverá ser entendida como uma recomendação para comprar ou vender ações.

Se entender esta publicação como uma recomendação, tenha em conta que ela é generalista e poderá não ser adequada ao seu perfil de risco, que é único. A sua situação financeira individual não foi tida em consideração pelo Autor da análise, que desconhece o perfil de risco e objetivos de cada um Subscritores do BorjaOnStocks. 

Se necessitar de conselhos financeiros personalizados, procure sempre os serviços de um profissional devidamente credenciado e autorizado pela CMVM.

O BorjaOnStocks e a sua Equipa não assumem qualquer responsabilidade por eventuais perdas ou ganhos resultantes da informação obtida nesta publicação. 

Esta publicação é propriedade intelectual de BBTOP20 – Produção de Conteúdos, Lda e destinada apenas aos Subscritores do site BorjaOnStocks. As informações e opiniões contidas nesta publicação são confidenciais. É proibida a sua transmissão ou difusão, em todo ou em parte, sem autorização expressa.

Consulte o Disclaimer completo do Borja on Stocks.

Pesquisar

Receba o E-book GRÁTIS

SIGA-nos

JUNTE-SE AO NOSSO Grupo NO Facebook

Receba a nossa Newsletter Gratuita

Receba as notícias e novidades do Borja On Stocks no seu email.