O Portfolio Ação do Mês foi criado no dia 30 de março de 2017 com o duplo objetivo de forçar alguma atividade e de assinalar novas oportunidades, principalmente para os Subscritores recém-chegados ao Borja on Stocks.

No último dia de cada mês tenho o desafio de escolher, de entre todas as ações já analisadas (186 neste momento), aquela que me parece ser a mais bem posicionada para investimentos a longo prazo. Claro que é impossível acertar na mouche e certamente que ficarei sempre muito longe da escolha ótima, mas desde que os resultados vão sendo satisfatórios, tudo bem.

Por enquanto retirei três mais valias simpáticas ao mercado …

… o o Portfolio Ação do Mês fechou na sexta-feira, dia 22 de dezembro, com uma valorização global de 21,9%:

Devo dizer que, sempre que há uma nova compra, são adicionados 1 000 € ao capital inicial (aumento de capital) e sempre que há uma venda, são retirados 1 000 € ao capital inicial (redução de capital). Foi a fórmula que encontrei para que existisse uma sequência comparável nos números da rendibilidade, porém o Rui Bóia argumenta que talvez fosse mais acertado deixar o capital das ações vendidas no Portfolio … ainda não tive tempo para avaliar essa forma alternativa de calcular a rendibilidade, mas é algo que preciso de fazer futuramente e, caso isso traga maior fiabilidade aos números, não me importo de recalcular tudo para trás. O mais importante é que as entradas e saídas estejam com as quantidades, valores e datas corretas e penso que isso ninguém contesta. É preciso ver também que a Ibersol doou uma ação por cada quatro detidas e que por causa disso o preço de compra teve de ser ajustado, senão o Portfolio mostraria uma menos-valia que não seria real.

Olhando para o Portfolio atual …

… verifico que está povoado por ações que também estão nos outros Portfolios e acho natural, porque essas são as empresas que conheço melhor, e portanto aquelas em que tenho mais confiança.

Eu hoje fiz a minha ronda, as minhas leituras, e concluo que, caso fosse comprar hoje uma ação para investir a longo prazo, essa ação seria a Corticeira Amorim.

Estive a ler a análise mais recente …

… que foi escrita quando a cotação estava nos 11,57 € e que já dizia que o mais provável era que corrigisse mais uns 10 a 15%:

Até se poderia dizer que seria expectável que a Corticeira corrigisse mais uns 10 a 15%.

E desde essa análise corrigiu 12,27% e …

… 23,7% desde o máximo histórico.

Como referi na análise anterior, a média das correções da Corticeira, desde que arrancou de lá de baixo, foi de 22,3%, pelo que a correção atual já ultrapassou a média histórica e, tendo em conta os fundamentais, deverá estar a terminar.

Vou atualizar os gráficos com as tendências fundamentais. À cotação de 10,45 €, o Valor de Mercado está nos 1 390 M€:

É curioso que desde a última análise as estimativas de Vendas para os próximos anos subiram ligeiramente:

Para o Lucro as estimativas também foram aumentadas, mas apenas à volta de 1%:

O Balanço deteriorou-se nos trimestres mais recentes – devido principalmente à sazonalidade e a aquisições que visam o crescimento – mas ainda assim continua a ser dos mais saudáveis da Euronext Lisboa:

Perspetivas

Verifico que a francesa Oeneo (que pertence ao Portfolio TOP20 Paris) tem vindo a fazer um pouco mais de sombra à Corticeira, ou seja, tem ganho alguma quota de mercado no segmento em que as duas empresas competem, as rolhas. De qualquer modo, ambas deverão continuar a beneficiar da tendência de subida de preço das rolhas, que mais do que tem compensado a subida de preços da matéria prima.

Por mim antevejo que estas duas empresas atinjam uma margem líquida superior a 20% nos próximos anos e que depois mantenham essa margem bastante elevada durante muitos anos, porque simplesmente mais ninguém tem acesso à matéria prima, nem pode ter, e porque considero as rolhas de cortiça insubstituíveis.

Estas não são bem ações à Warren Buffett, porque a Corticeira e a Oeneo não têm marcas fortes (a Oeneo, com a DIAM, parece ter mais marca), porém têm uma barreira à entrada do mais sólido e alto que pode haver: a Natureza. Um sobreiro, depois de plantado, demora 43 anos a dar cortiça boa para fazer rolhas, ainda que para outras utilizações sejam necessários apenas 25 anos e que existam já algumas experiências (levadas a cabo pela Corticeira) de rega gota a gota que poderão permitir que se extraia cortiça de sobreiros com apenas oito anos (mas não para rolhas).

Na Euronext Lisboa não existem muitas ações com fundamentais bastante atrativos e uma gestão competente e a Corticeira é uma dessas raras exceções, a única empresa cotada na nossa Bolsa que é líder económico mundial no seu setor.

Vendê-la para entregar 28% da mais-valia ao Estado é cada vez mais impensável para mim. Vejo-a mais a viajar progressivamente até à zona dos 30 € por ação e, quando tiver a tal margem líquida de 20% e não existir grande margem de crescimento, a ficar uns vinte anos a distribuir chorudos dividendos. Eu tenho 41 anos e vejo-me com 66 a receber 5% ao ano dos Dividendos da Corticeira. Até lá, sempre que ela vier abaixo e eu tiver capital disponível, o mais provável é ir acumulando mais ações … que se há-de fazer ao capital, senão ir investindo mais e mais nestas ações fundamentalmente atrativas?

Conclusão:

A Corticeira Amorim vai entrar, à cotação de fecho de hoje, no Portfolio Ação do Mês, com 1 000 € (valor meramente indicativo). 

Disclaimer  

Esta publicação é para efeitos meramente informativos e educacionais e nunca deverá ser entendida como uma recomendação de compra ou venda de ações. O BorjaOnStocks e a sua Equipa não assumem qualquer responsabilidade por eventuais perdas ou ganhos resultantes da informação obtida nesta publicação. Se necessitar de conselhos financeiros, procure sempre os serviços de um profissional devidamente autorizado e credenciado. 

Consulte o Disclaimer completo do BorjaOnStocks.

Deixe uma resposta

Os 7 Segredos do Mercado de Ações

Receba este E-book Grátis

Receba as notícias e novidades do Borja On Stocks no seu email.  

 

Preparado para INVESTIR nas MELHORES AÇÕES?