Vivendi quer engolir Ubisoft?

1. Introdução à Ubisoft

Nesta série de análises a ações da Euronext Paris vou seguir a ordem de preferência dos Subscritores do Borja on Stocks que se pronunciaram, sendo que a segunda da lista é a Ubisoft.

O objetivo é analisar, do ponto de vista fundamental, as 300 maiores empresas da Euronext Paris e depois ir mantendo essas análises atualizadas, com vista a selecionar as mais atrativas para o Portfolio TOP20 Paris, que terá início já no próximo dia 1 de junho.

2. Apresentação

2.1. Descrição da Empresa

A Ubisoft Entertainment SA (UBIP.PA) é uma empresa francesa que se dedica ao desenvolvimento, publicação e distribuição de vídeo-jogos. Os seus principais jogos são:  Rayman, Tom Clancy, Ghost Recon, Splinter Cell, Prince of Persia, Child of Eden, From Dust, Shaun White, Driver, Assassin’s Creed e The Settlers.

Não conheço nenhum porque desde os 14 anos que não jogo vídeo-jogos. Faz-me confusão ver adultos a jogar joguinhos eletrónicos, mas se calhar eles é que estão certos, porque eu é que durmo mal, com tanta seriedade.

Aqui está a distribuição de receitas da Ubisoft por consola:

segmentos ubisoft

Parece que a Wii está na mó de baixo, que é a consola que o meu filho mais novo tem. Em vez de lhe dar uma nova tenho-o direcionado para a prática desportiva de futebol e ténis. É capaz de ser mais saudável ainda que considere que jogar vídeo-jogos é um mal menor em relação a ver televisão, pelo menos há alguma interactividade… desde que não seja em excesso.

Penso que os telemóveis e tablets têm substituído bastante as consolas de jogos, ainda que provavelmente os jogos tenham muito menos qualidade.

Estive a ler a história da Ubisoft, que foi fundada em 1986 por cinco irmãos da Família Guillemot numa pequena vila francesa, Carentoir. A empresa entrou na Bourse de Paris em 1996 e hoje em dia conta com mais de 10 mil colaboradores e tem um valor de mercado de €5 mil milhões!

2.2. Principais Acionistas

Desde 2015 que a Vivendi, que é a 26ª maior empresa de França, com um Valor de Mercado de cerca de €25 mil milhões, tem vindo a acumular posições na Ubisoft e atualmente é a maior acionista, com 1/4 do capital:

Os membros da família Guillemot têm tentado prevenir uma aquisição hostil por parte da Vivendi, mas neste momento a família está relegada para a posição de 2ª maior acionista, com 13,2% do capital. Os restantes acionistas são grandes fundos de investimento globais e na 10ª posição surge um fundo que é controlado pelos empregados da Ubisoft, com apenas 0,75%. O free float é de 60%.

3. Contexto Histórico

3.1. Gráfico de Longo Prazo

As oscilações do gráfico de longo prazo são meteóricas …

gráfico longo prazo ubisoft

… mas podemos dizer que a tendência de muito longo prazo é ascendente!

Desde que entrou na Bolsa a Ubisoft subiu 1 287%, depois desceu 93%, a seguir subiu 1 900%, desceu 90% e agora, desde o mínimo de 2011, está a valorizar cerca de 1 200%.

Compreendem agora porquê que eu não ligo a oscilações de curto prazo, porquê que não ligo a “migalhas”? Porque quem está preocupado em compreender as migalhas perde a noção destes GRANDES movimentos. Para mim o que interessa são estas enormes vagas e tendências e não a maré e o vento de cada dia.

3.2. Evolução do Nº de Ações e Valor de Mercado

Já corrigindo o efeito de dois stock splits e desde a entrada em Bolsa, o nº de ações emitidas pela Ubisoft aumentou a uma taxa média anual de 5%, de 40 milhões em 1996 para 111 milhões atualmente:

Já o Valor de Mercado subiu dos €107 milhões para os €4 932 milhões. A valorização média anual da empresa foi de 20%! A cotação subiu a uma média histórica de 14,2% e a diferença explica-se pela diluição anual.

As mudanças de valor foram realmente impressionantes, vejamos se são explicáveis pelas tendências fundamentais que se seguem.

3.3. Evolução das Vendas e Price to Sales Ratio

As Receitas da Ubisoft aumentaram dos €169 milhões em 1999 para os €1 499 milhões em 2017 (esta é uma estimativa – como o ano fiscal só terminou a 30 de março a empresa ainda não apresentou os seus resultados anuais – será no próximo dia 16 de maio):

No topo do ano 2000 a Ubisoft estava avaliada em 6,7 vezes mais do que aquilo que vendeu nesse ano (Price to Sales Ratio de 6,7). No final de 2002 o PSR estava deprimido, nos 0,4 e depois subiu até aos 3,5 em 2007 e caiu novamente para os 0,5 em 2011. Atualmente o PSR está outra vez acima de 3, um múltiplo das Vendas que é elevado em termos históricos.

Portanto, as Vendas anuais da Ubisoft até que têm crescido de forma relativamente estável (13% ao ano, em média), a valorização que os investidores dão a essas vendas é que tem oscilado imenso.

Vejamos se encontramos mais fatores explicativos na evolução do Lucro e do PER.

3.4. Lucro e PER

A Ubisoft tem oscilado Lucros com Prejuízos e esta é a principal explicação para os grandes movimentos da cotação. O track record não é grande coisa, nos últimos 19 anos a Ubisoft lucrou €633 milhões, o que dá uma média de €33 milhões/ano. Considerando apenas os últimos três anos a média já é de €132 milhões/ano.

Vejamos o PER no final de cada ano:

Nos anos go go da bolha tecnológica a Ubisoft transacionou com um PER médio de 138, não admira que a seguir tenha caído 93%. Entre 2004 e 2007, a empresa passou de um Prejuízo de €9 milhões para um Lucro de €110 milhões, portanto é natural que tenha valorizado 1 900%. O PER no final de 2007 era de 72, qual é o espanto que a seguir tenha caído 90%, especialmente ao ter apresentado Prejuízos em 2010 e 2011?

Agora o PER da Ubisoft está nos 32, um nível que considero elevado, especialmente quando consideramos o histórico de instabilidade.

É muito interessante o facto da ação ter subido 48% em 2014, quando a empresa nesse ano teve um Prejuízo de €49 milhões, o segundo maior da sua história. É que nessa altura a Vivendi já estava a acumular ações e no início de 2015 anunciou que tinha 6% do capital. Desde essa altura a Vivendi tem vindo a comprar mais ações (como vimos já tem mais de 25% da Ubisoft), indiferente à evolução dos fundamentais, que apesar de tudo tem sido positiva nos últimos anos.

Parece-me evidente que o principal catalisador para a valorização das ações da Ubisoft nos últimos anos são as compras sucessivas por parte da Vivendi. A especulação acerca da iminência de uma OPA hostil da Vivendi à Ubisoft está ao rubro.

3.5. Rácios do Balanço

Quando a linha azul do current ratio está toda acima da linha laranja do debt to equity ratio, considero o Balanço saudável, embora se note um aumento do endividamento em termos de longo prazo:

O Price to Book Value, que era de 0,68 em 2011, está agora nos 4,66.

Nota: Se tiver dúvidas em relação a estes termos consulte o glossário

4. Perspetivas

6. Disclaimer

Esta publicação é para efeitos meramente informativos e educacionais e nunca deverá ser entendida como uma recomendação de compra ou venda de ações. O BorjaOnStocks e a sua Equipa não assumem qualquer responsabilidade por eventuais perdas ou ganhos resultantes da informação obtida nesta publicação. Se necessitar de conselhos financeiros, procure sempre os serviços de um profissional devidamente autorizado e credenciado.

Consulte o Disclaimer completo do BorjaOnStocks.