Análise às ações do BCP

Esta é a 14ª análise que publico ao BCP. Aqui estão os títulos das 13 anteriores:

Nota: A maioria destas análises só está disponível para os Subscritores do serviço premium do Borja on Stocks. 

Sempre estive bearish no BCP, mas a certa altura não resisti a ir lá “molhar o bico”, que é como quem diz, fazer um trade rápido e realmente foi rápido, perdi 11% em sete sessões (com 10% do capital do Portfolio TOP10 Lisboa, perda total de 1,1%).

Quem me acompanha sabe que começo todas as análises por apresentar um gráfico com a evolução do nº de ações emitidas e quando existe tendência da empresa para diluir o valor dos acionistas, esse é logo um enorme sinal vermelho para mim. Isto porque a Capitalização Bolsista, ou Valor de Mercado, cuja equação é …

Valor de Mercado = Cotação*Nº de Ações emitidas

… pode aumentar de duas formas: ou porque a cotação sobe (o mais normal) ou porque o nº de ações emitidas pela empresa aumenta. O BCP é um destes últimos casos.

Por vezes as palavras induzem em erro e eu acho que a expressão “aumento de capital” é uma das mais falaciosas da língua portuguesa. Os americanos tratam os bois pelos nomes e chamam “share issuance” ao que o BCP faz recorrentemente, mas quando se diz “aumento de capital” até parece que os investidores vão participar em algo que subitamente é mais rico, quando na verdade o que está a acontecer é que a empresa está a pedir mais dinheiro aos investidores, sob pena de verem a sua posição na empresa diluída. O termo “aumento de capital” deveria ser substituído pelo muito mais apropriado “emissão de ações”.

Desde 1985, quando o BCP entrou na Bolsa de Valores de Lisboa, já fez 33 emissões de novas ações. Quem acha que a mais recente emissão de ações do início de 2017 foi a última está a apostar contra 32 anos de história do BCP em Bolsa.

A Reuters faz um ajuste retroactivo do n.º de ações emitidas, o que nos permite calcular o Valor de Mercado no final de cada ano (multiplicando pela cotação também ajustada). O resultado é o seguinte:

Desde 2010, o n. de ações multiplicou-se por 14,5 vezes. O Valor de Mercado desceu 12%. E a cotação da ação desceu 94%:

Se no passado o Valor de Mercado desceu 12% e a cotação desceu 94%, nada nos garante que isso não voltará a acontecer no futuro.

Em 2010 o BCP lucrou €344,5 milhões e nessa altura valia €2 726 milhões. O PER era de 7,9. Agora o BCP lucrou … deixem ver, que n.º hei-de utilizar … OK, aquele que a gestão diz que é o que extirpa todos os efeitos extraordinários, o dos … 

Disclaimer

Esta publicação é para efeitos meramente informativos e educacionais e nunca deverá ser entendida como uma recomendação de compra ou venda de ações. O BorjaOnStocks e a sua Equipa não assumem qualquer responsabilidade por eventuais perdas ou ganhos resultantes da informação obtida nesta publicação. Se necessitar de conselhos financeiros, procure sempre os serviços de um profissional devidamente autorizado e credenciado.

Consulte o Disclaimer completo do BorjaOnStocks.