Previsão do Mercado em Geral 2

Boa tarde caros Membros do BorjaOnStocks!

No dia 9 de outubro de 2015 escrevi o seguinte artigo:

– Previsão do Mercado em Geral

Na altura previ uma queda de uns 20% no S&P500 e entre o máximo de 2015 e o mínimo de 2016, o S&P 500 desceu 15,3%. A queda foi um pouco menor e acabou mais cedo do que previ, porque entretanto as condições se alteraram um pouco e também porque é naturalmente impossível acertar ao milímetro nestas coisas das previsões do mercado. Acertar mais ou menos na direção já é muito bom!

Previ que o PSI20 faria o seu mínimo entre os 4.000 e os 4.500 pontos e, pelo menos até agora, o mínimo foi a 4.538 pontos, um nico acima do meu intervalo, mas penso, penso não, tenho a certeza, que é preciso ser flexível no mercado de ações. A taxa de juro das obrigações do tesouro português a 10 anos também subiu dos 2,367% da altura para os 2,93% atuais.

Eu sinceramente considero que o fundo do S&P500 e do PSI 20 já foi feito e que o PSI 20, que neste momento está a descer 6,7% em 2016, vai acabar o ano a subir mais de 12%. É por causa desta previsão que o Portfolio TOP10 Lisboa está investido a 100%! Foi pena não ter sido mais agressivo naquele dia do mínimo, só entrei na Mota-Engil, Teixeira Duarte e Portucel, quando devia ter feito um ataque geral às cotadas … mas enfim, não tendo conseguido apanhá-las no mínimo, não me posso dar ao luxo de ficar a martirizar os erros do passado, preciso antes de agir no sentido da correção desses erros e naturalmente apanhar as ações mais alto.

Mas, o que é que justifica esta mudança súbita de atitude? Três grandes ordens de fatores:

– Como vimos, o grosso da descida já ocorreu. Naturalmente ainda vai existir muita volatilidade e não descarto a 100% a possibilidade de haver mais uma descida para um novo mínimo, mas neste momento o risco de estar de fora é, na minha humilde opinião, mais elevado do que o risco de estar dentro;

– Quando o petróleo estava cotado nos $80, ainda o BorjaOnStocks não existia, soube do plano económico de Hillary Clinton caso fosse eleita Presidente dos Estados Unidos (que expliquei na primeira Previsão do Mercado em Geral) e retirei as ilações óbvias, que o petróleo e todos os mercados organizados em contratos de futuros seriam extremamente penalizados. Para mim não foi surpresa a queda do petróleo desses $80 por barril para valores abaixo dos $30. Foi um êxodo de investimento especulativo em tudo o que eram commodities. Porém, quando foi divulgada a notícia da entrada do Irão no mercado global, senti que esse era o momento ideal para fazer short covering ou finalmente investir nos barris. O Brent ainda tremeu um pouco, fez um mínimo abaixo dos $27 e agora está nos $33,82. Acho que daqui por dois anos vai estar acima dos $90 por barril.

Penso que o plano da Clinton de passar o curto prazo de 1 ano para 6 anos não vai sair do papel, mesmo que Hillary Clinton venha a ser eleita Presidente e que tudo não passou de uma manobra para manipular os mercados de commodities em baixa, porventura com proveito indireto da própria e também da Goldman Sachs e outros bancos de investimento, que sempre apoiaram fortemente todas as suas campanhas eleitorais. Deixem-me explicar … quando eu li o plano dela pela primeira vez pensei “meu Deus, esta mulher não percebe nada de mercados, não vê que vai rebentar com os mercados de futuros todos?”, mas, eu é que era o ingénuo, ela sabia era muito! Recentemente tiraram-lhe a carapuça, vejam esta investigação jornalística:

– The Clinton Scandal that Still Matters is Not the One You Think

Quando ela transformou $1.000 em $98.540 nos futuros ainda eu andava de fraldas! Portanto ela sabe muito bem o que faz e com que objetivos! Apesar da “corrupção” isso deixa-me muito mais descansado em termos de médio/longo prazo nos mercados e ultra-otimista no preço das commodities.

Agora é assim, neste mercado alguns setores vão subir e outros vão descer e acho que nos Estados Unidos se calhar o S&P500 só sobe uns 5% ou assim até ao final do ano, sem conseguir atingir um novo máximo. Se os setores Oil & Gas e Basic Materials vão subir (já deram um grande salto nos últimos dias), as Utilities e setores mais ligados ao Consumo vão descer. Tudo o que depende do preço das commodities (moedas e economias emergentes produtoras) vai subir, mas tudo o que depende de taxas de juro baixas vai descer, porque a inflação e as taxas de juro devem subir moderadamente nos próximos anos.

3º – Considero que Portugal está pronto para uma subida acima da média, apesar do Governo de Esquerda, apesar dos fracos fundamentais das empresas quando comparados com as congéneres estrangeiras, apesar de tudo.

Porquê? Bom, para já reparem que muitos mercados após terem recuperado dos mínimos, voltaram lá abaixo, alguns inclusive até fizeram um novo mínimo (caso do mercado italiano) e o PSI 20 não, o PSI 20 quase que não recuou. Está a exibir firmeza relativa e isto porquê?

Eu acho que é por causa da única coisa que move os mercados, o Potencial de Money In e Money Out. Foi este o título do artigo que escrevi em 2002, mas que perdi com o passar dos anos. Em termos muito simples (quem me dera ter o artigo, estava tão bonito, mas enfim) esta teoria diz que o capital se move em fluxos, vai saindo de uns sítios para os outros e não suporta a existência de um vácuo. Quando existe um vácuo de capital, esse vácuo é rapidamente preenchido. E nós aqui em Lisboa temos um vácuo … com os escândalos do BPN, da Portugal Telecom, do BES, da Espírito Santo Financial e do Banif os pequenos investidores particulares ficaram completamente nas lonas e juraram “ações nunca mais”. E quando houve o “Golpe de Estado” do António Costa, mais uma leva deles saíram … as corretoras parecem um velório de alguém que ninguém conhecia. Juro que, estou há mais de dois anos nas Caldas, há uma corretora lá em baixo e nunca vi lá um único cliente sequer! Todos os meus amigos que investiam em ações há uns anos atrás agora nem querem pensar nisso. E o facto de algumas ações de peso terem deixado de estar cotadas faz com que as que restam sejam muito poucas para abarcar um súbito afluxo de capital sem que haja uma subida substancial dos preços.

Resumindo, penso que quem queria vender, teve todos e mais alguns motivos para vender e vendeu. Agora não tem ações, tem dinheiro. Dinheiro para quê? Para comprar ações, é evidente! Só é preciso que as cotações subam, os motivos vêm mais tarde, é sempre assim.

Portanto, quando todos os motivos apontam para vender ações, eu fico Bull. Quando todos os motivos apontam para comprar ações, eu fico Bear. Esta é a teoria da opinião contrária. Eu quero muita gente com dinheiro em depósitos a prazo e quase ninguém com ações para ficar otimista. Porque, para haver um fluxo de entrada de dinheiro nas ações, é preciso primeiro que ele saia e ele já saiu, nos últimos 9 anos saiu muito dinheiro da Euronext Lisboa. Que um dia irá voltar, esse ou outro, mas o que lá está, já não sai. Esse, se não saiu com o que aconteceu nos últimos meses, não sai de forma alguma, a não ser que aconteça uma hecatombe económica, que não prevejo.

Vou só dar um exemplo de como esta teoria do vácuo funciona, consideremos por exemplo as ações da Mota Engil. Lembram-se que eu dizia nas análises (ou nos comentários no Facebook), que, por causa do gráfico da ação que apontava aquele suporte de longo prazo a €0,95, eu escrevi que “vai toda a gente despejar com medo que vá a esse nível” e por causa disso eu considerei que ela não iria lá, apesar da história, apesar do gráfico? Porque, se ia “toda a gente despejar com medo que lá fosse” isso iria criar um vácuo, se toda a gente ia vender, a ação só poderia subir a partir daí! Claro que o “toda a gente” exclui as mãos fortes como por exemplo as da Família Mota, que até comprou ações lá em baixo.

Devo dizer que estou bastante satisfeito com a composição atual do Portfolio TOP10 Lisboa e que estou deveras otimista! Como referi no início, o risco de estar fora é maior do que o risco de estar dentro, ainda que possam existir muitas oscilações e sustos pelo caminho. Como diria o Jesse Livermore: “It was my sitting that did the most money for me, not my thinking!” Quer isto dizer que agora é preciso parar de pensar, parar de olhar para as cotações, de certo modo adormecer e deixar o tempo fazer a sua mágica. O PSI 20 pode cair 5%, pode subir 5% e isso deverá ser completamente indiferente para o investidor experiente neste momento. Agora é altura de ficar calmo e quieto. Os ventos podem soprar forte, as ondas podem ser altas, mas quem ficar sereno, quem mantiver o controlo emocional e principalmente quem souber ser paciente, certamente que será muito recompensado no médio e longo prazo por investir em ações nacionais neste momento.

Esta é a minha opinião, que pode estar certa ou errada, mas com a qual viverei nos próximos tempos.

César Borja

Disclaimer

Esta publicação é para efeitos meramente informativos e educacionais e nunca deverá ser entendida como uma recomendação de compra ou venda de ações. O BorjaOnStocks e a sua Equipa não assumem qualquer responsabilidade por eventuais perdas ou ganhos resultantes da informação obtida nesta publicação. Se necessitar de conselhos financeiros, procure sempre os serviços de um profissional devidamente autorizado e credenciado. 

Consulte o Disclaimer completo do BorjaOnStocks.