PSI 20 ou PSI, o que é que isso interessa?

Bom dia caros Investidores,

Na quinta-feira, dia 12 de agosto, a Euronext anunciou mudanças no principal índice da bolsa de Lisboa, o PSI 20:

As novidades são que deixa de haver um limite mínimo para o número de constituintes (dantes tinham de ser no mínimo 18) e que as componentes têm de ter, aquando da revisão trimestral, um valor em free float mínimo de 100 M€. A entrada em vigor das novas regras e a mudança de nome, de PSI 20 para PSI, irá ocorrer em março de 2022.

A imprensa económica nacional tem dado uma ampla cobertura ao assunto, explicando que ações como a Ibersol, a Novabase, a Pharol e a Ramada atualmente não cumprem os requisitos mínimos, pelo que poderão vir a não pertencer ao novo PSI. Outra que poderá estar de saída, por estar sob OPA da família Queiroz Pereira, é a Semapa. Por outro lado, a Greenvolt, cujo free float neste momento vale 165 M€, poderá ingressar no índice, que ficará assim com 14 cotadas, a saber:

Quais as ações que farão parte do PSI quando deixar de ser PSI 20?

  1. Altri
  2. BCP
  3. Corticeira Amorim
  4. CTT
  5. EDP
  6. EDP Renováveis
  7. Galp Energia
  8. GreenVolt
  9. Jerónimo Martins
  10. Mota Engil
  11. Navigator
  12. NOS
  13. REN
  14. Sonae SGPS

Será que estas mudanças no índice principal devem ter alguma influência nas decisões dos investidores em ações nacionais?

A meu ver não, por três motivos principais:

– O ETF do PSI 20, que tinha somente 14 M€ em Assets Under Management (AUM), foi delisted em 19 de abril de 2021:

ETF do PSI 20

Esta deve ter sido uma das razões que levou a Euronext a alterar as regras do PSI 20, porque com aquelas componentes com pouco free float e liquidez era mais difícil fazer um bom tracking do índice através de um ETF minimamente líquido. Pode ser que com as alterações propostas surja um ETF do PSI que seja mais líquido e atrativo para os investidores.

– Na realidade a pertença ou não ao PSI 20 tem sido irrelevante para a performance das ações individuais, uma vez que estas têm valor pelas tendências fundamentais intrínsecas das empresas e não por pertencerem a este ou aquele índice, que é apenas uma média ponderada das cotações das ações.

Vou dar dois exemplos para demonstrar o que digo, das duas ações que mais subiram nos últimos anos na Euronext Lisboa, a Corticeira Amorim e a Ramada.

Desde o mínimo de 2009, enquanto estava fora do PSI 20, a Corticeira Amorim subiu 1.231%, e após ter entrado no PSI 20, no dia 21 de março de 2016, “só” subiu 63%:

Gráfico das ações da Corticeira Amorim dentro do PSI 20 e fora do PSI 20

O caso da Ramada ainda é mais chocante, pois esta, enquanto esteve fora do PSI 20, subiu 2.811% e desde que entrou no índice, no dia 19 de março de 2018, desceu 55%:

Gráfico das ações da Ramada dentro do PSI 20 e fora do PSI 20

Estes dois exemplos servem apenas para desmistificar a ideia feita de que pertencer ao PSI 20 é muito bom e que estar fora dele é muito mau. Na realidade não é bom, nem é mau, é irrelevante, porque o que interessa são as tendências fundamentais das empresas e se as ações estão subavaliadas ou sobreavaliadas.

– Desde que o Borja on Stocks teve o seu início, em 21 de agosto de 2015 (está quase a fazer 6 anos!), que sempre tivemos como missão analisar, profundamente e do ponto de vista fundamental, TODAS as ações da Euronext Lisboa, não só aquelas que são mais conhecidas ou importantes. Desde então publicámos, à data de hoje, 16 de agosto de 2021, 593 análises a ações nacionais.

Destas análises emanaram 30 recomendações completas de compra e venda de ações nacionais que, juntamente com as posições atualmente detidas, obtiveram o seguinte resultado:

Nota: o TOP10 Lisboa reúne as 10 ações cotadas na Euronext Lisboa que, a cada momento, consideramos mais atrativas para investimentos a médio/longo prazo

125,8% de retorno, contra os -5,2% do PSI 20 no mesmo período. Isto dá 15,1% de retorno médio anual, contra os -0,9% do PSI 20.

Portanto, mesmo num mercado tão deprimido como o nosso, a estratégia de investir em ações fundamentalmente atrativas e subavaliadas acaba sempre por dar um bom resultado.

Agora, claro que esta seleção de ações dá muito trabalho, que é o que fazemos diariamente no Borja on Stocks.

Apesar dos bons resultados que temos obtido, sinto que temos andado algo fechados na nossa própria Comunidade, que felizmente é bastante numerosa (873 investidores portugueses, conhecedores e empenhados), pelo que estamos a tentar abrir um pouco as portas e dar a conhecer mais do nosso serviço.

Há poucos dias lancei a série Abertura da Euronext, no YouTube. Trata-se de um pequeno vídeo de 10 minutos, sempre entre as 8:00 e as 8:10 (é em live streaming) onde comento as principais notícias da sessão e o que está a provocar as maiores subidas e descidas logo na abertura. Se tem interesse nestes vídeos subscreva o canal do Borja on Stocks no YouTube.

Desejo-lhe uma boa semana e bons investimentos, dentro ou fora do PSI 😉

César Borja

Economista e Analista de Ações Independente, fundador do www.borjaonstocks.com

análises relacionadas

Deixe uma resposta