O que são os esquemas Ponzi e como não ser burlado

Caros Investidores,

Acredito que a maioria de nós entrou na bolsa com a ideia de facilmente e rapidamente ganhar muito dinheiro… uns perceberam que era impossível enquanto outros saíram da bolsa mais pobres do que quando entraram.

Infelizmente, existem ainda aqueles que não chegaram à bolsa e deixaram-se enganar por esquemas/fraudes financeiras. As histórias destes esquemas diferem, mas as promessas e os finais são sempre os mesmos. Sempre que ouvir “altos rendimentos” e “baixo risco” na mesma frase, duvide!

Muitos pensam que as pirâmides financeiras e os esquemas Ponzi, que na realidade são esquemas ligeiramente diferentes, ficaram no passado. Infelizmente, os juros baixos oferecidos pelas entidades bancárias fazem com que as pessoas procurem “alternativas”.

O que são os esquemas Ponzi?

Tanto a CMVM…

Promessa de dinheiro fácil, rápido e de elevada rentabilidade e sem qualquer risco (inclusive oferecem comissões elevadas para recrutar novos “investidores”);

…como o Banco de Portugal têm uma descrição do que são os esquemas pirâmide e esquemas Ponzi:

Os esquemas de pirâmide financeira constituem operações fraudulentas de investimento, baseadas na promessa de pagamentos de lucros anormalmente altos aos investidores, com recurso, exclusiva ou maioritariamente, aos capitais aportados pelos investidores subsequentes e não a fundos gerados pela atividades.

Como funcionam os Esquemas Ponzi?

Os esquemas Ponzi funcionam enquanto existir angariação de novos investidores que com o seu dinheiro garantem o pagamento do “juro” aos investidores mais antigos.

Um dos exemplos pode ser o seguinte:

O responsável pelo esquema Ponzi cria uma história à volta de um produto/serviço altamente rentável e seguro que depois é disseminada através dos mais diferentes canais de comunicação. Esta disseminação ocorre em fóruns, redes sociais e pode até ocorrer em programas de rádio, eventos desportivos e eventos de caridade.

Os investidores são enganados porque na realidade não há nenhum serviço ou produto miraculoso e os “juros” recebidos são apenas os pagamentos efetuados por outros investidores.

O problema é que os investidores enquanto recebem o seu juro não estão preocupados em saber de onde vem o dinheiro e como funciona o produto miraculoso. Quando o juro para de aparecer na conta as dúvidas aparecem, mas o mais provável é que nesse momento o burlão já esteja em fuga ou então já tenha sido apreendido pelas autoridades.

Quem foi Charles Ponzi?

O que são os esquemas Ponzi e como não ser burlado 1 - Borja On Stocks

Charles Ponzi não foi o primeiro a usar o esquema que tem o seu nome, mas o tamanho da burla orquestrada por ele foi enorme, tendo em conta o tempo em que ele vivia. A burla teve o seu início em janeiro de 1920 e Charles Ponzi foi considerado culpado em novembro do mesmo ano.

Já na primeira década de 1900 Charles Ponzi fora condenado a 3 anos de prisão por falsificar um cheque sem cobertura na província de Quebeque. Após sair da prisão esteve envolvido no tráfico de emigrantes italianos que pretendiam vir para os Estados Unidos, sendo novamente apanhado e condenado a mais dois anos de prisão.

Mais tarde Charles Ponzi descobriu uma ineficiência ligada aos coupons de resposta internacional que funcionava da seguinte forma (exemplo): em Espanha os seus agentes compravam selos que continham um cupão que poderia ser trocado por selos de maior valor nos Estados Unidos. Estes eram enviados para os Estados Unidos, recebidos por Ponzi e posteriormente trocados pelos selos de maior valor, aparentemente Ponzi teria de vender os selos para os converter em dinheiro. Não se sabe ao certo quanto dinheiro Ponzi efetivamente utilizou neste esquema – certamente que não foi muito -, mas a história “pegou”.

Em janeiro de 1920, para dar um ar mais formal ao seu negócio, ele fundou a Securities Exchange Company (SEC) e começou a aceitar investimentos prometendo no início um retorno de 40% nos primeiros 90 dias. Mais tarde a promessa começou a ser de 10% ao mês.

No final de julho de 1920 o jornal Boston Post publicou o primeiro artigo que visava desmascarar a insustentabilidade do negócio e no início de agosto foi publicado mais artigo que levou a uma corrida aos depósitos. Acontece que o esquema já operava com $15 M, mas a União Postal Universal, que registava e distribuía os cupões, declarou que não tinha distribuído mais de $58.000. Os representantes dos Correios dos Estados Unidos afirmaram que não havia nenhum negócio como o descrito por Charles Ponzi.

Em agosto de 1920 Charles Ponzi foi detido e em novembro condenado. Segundo a CNN foi condenado a 5 anos de prisão, segundo outras fontes a 3,5 anos.

Antes de Charles Ponzi houve a Adele Spitzeder

O que são os esquemas Ponzi e como não ser burlado 2 - Borja On StocksO primeiro caso reportado é da Adele Spitzeder que viveu na Alemanha entre fevereiro de 1832 e outubro de 1895. Em termos simplistas, Adele operava como um banco e prometia juros elevados (8% por mês), sendo que estes juros eram pagos com os depósitos de novos investidores. O esquema faliu, mas Adele foi condenada a apenas 6 meses de prisão devido à falta de regulação. Desde então a regulação tem sido aperfeiçoada.

Quem foi Bernie Madoff?

O que são os esquemas Ponzi e como não ser burlado 3 - Borja On Stocks

Foi o responsável pelo maior esquema Ponzi que evaporou $65 B de poupanças. Ao contrário da Adele Spitzeder, condenada a apenas 6 meses de prisão, Bernie Madoff foi condenado a 150 anos de prisão, tendo falecido em abril de 2021. Bernie Madoff oferecia uma rendibilidade na ordem dos 10% – 20% ao ano, o que é baixo para este tipo de esquemas, e por isso conseguiu operar durante décadas até que a crise do subprime não expôs os números fabricados.

Burlas Recentes

Nem todos os esquemas conseguem atingir dimensões relevantes, mas não devemos pensar que estes só existem noutros países:

Segundo o artigo, a plataforma criada oferecia um rendimento mínimo de 2,5% por semana. Ora bem, 2,5% por semana dá 130% por ano (52 semanas), mas como o valor oferecido era semanal, em termos compostos o juro era de 261% ao ano.

Com algumas contas simples percebemos que um investimento de 1.000 € ao fim de 10 anos aumenta para os 377 M€ e um investimento de 10.000 € aumenta para os astronómicos 3.770 M€. Reparem que o rendimento de 2,5% era o “mínimo”. Já agora, ao fim 4 anos e 10 meses o investimento de 1.000 € já teria ultrapassado a fasquia do 1 M€.

A evolução dos esquemas Ponzi

A fachada dos esquemas vai mudando conforme os temas “quentes” que vão aparecendo. Adele Spitzeder utilizou a imagem do banco, Charles Ponzi utilizou os coupons postais, Bernie Madoff tinha o esquema montado à volta do mercado de ações, eu já vi esquemas à volta do Forex e como podemos ver, agora temos à volta das criptomoedas.

A fachada dos esquemas facilmente se altera, mas a sua essência é sempre a mesma: enganar os incautos e enriquecer o criador.

Ponzi é mesma coisa que Pirâmide Financeira?

Não, mas são esquemas muito parecidos. Eu até diria que a pirâmide financeira é uma evolução do esquema Ponzi.

No esquema Ponzi não há nada mais do que a transmissão do dinheiro dos investidores mais recentes para os investidores mais antigos.

No caso das Pirâmides Financeiras, por norma, os investidores mais antigos têm a possibilidade de ganhar dinheiro trazendo novos investidores, ou seja, por cada novo membro, o membro antigo ganha uma quantia monetária. Acontece que as Pirâmides Financeiras podem ter um produto que será vendido ao público e enquanto, aos olhos do regulador, o principal objetivo for a venda do produto e não a angariação de novos membros, a atividade é legal.

Conclusão

Mais uma vez relembro, sempre que ouvir “altos rendimentos” e “baixo risco” na mesma frase – duvide! Se lhe prometerem ganhos – duvide ainda mais! Ganhar muito dinheiro sem fazer quase nada é possível, mas aqui estaremos a apelar à sorte (raspadinhas, apostas, euromilhões, casinos, etc.) e não ao racional económico que nos deve guiar em todas as nossas decisões financeiras.

Repare que para escolher 20 cotadas para o TOP20 Small Caps, já foram analisadas 359 empresas e publicadas 522 análises. Não devemos apelar à sorte, mas sim ao trabalho que vamos fazendo diariamente.

Disclaimer

Esta publicação é para efeitos meramente informativos e educacionais e não deverá ser entendida como uma recomendação para comprar ou vender ações.

Se entender esta publicação como uma recomendação, tenha em conta que ela é generalista e poderá não ser adequada ao seu perfil de risco, que é único. A sua situação financeira individual não foi tida em consideração pelo Autor da análise, que desconhece o perfil de risco e objetivos de cada um Subscritores do Borja on Stocks.

Se necessitar de conselhos financeiros personalizados, procure sempre os serviços de um profissional devidamente credenciado e autorizado pela CMVM.

O Borja on Stocks e a sua Equipa não assumem qualquer responsabilidade por eventuais perdas ou ganhos resultantes da informação obtida nesta publicação.

Esta publicação é propriedade intelectual de BBTOP20 – Produção de Conteúdos, Lda e destinada apenas aos Subscritores do site Borja on Stocks. As informações e opiniões contidas nesta publicação são confidenciais. É proibida a sua transmissão ou difusão, em todo ou em parte, sem autorização expressa.

Consulte o Disclaimer completo do Borja on Stocks.

Artigos Relacionados

Download ebooks grátis

e-books sobre Investimento em Ações

Cinco e-books inspiradores e informativos sobre investimentos em ações

Bem-vindo de volta!

Recupere a sua palavra-passe

Por favor, insira o seu nome de utilizador ou email para redefinir a sua palavra-passe.

Iniciar sessão