O campeão que vende sempre a ganhar

Nos vinte anos que levo a escrever sobre o mercado de ações (comecei em janeiro de 1999, no velhinho BolsaInvest) tenho tido contacto com muitas centenas de investidores, que vão partilhando algumas das regras pelas quais se regem, no fundo, as suas estratégias de investimento.

Numa atividade tão instável e incerta como é o investimento em ações é natural que as pessoas procurem proteger-se, adoptando regras bem definidas e muito rígidas que orientem o seu comportamento. Estes investidores combatem o facto de não poderem controlar os acontecimentos controlando aquilo que podem controlar: a sua reação aos acontecimentos.

Ainda que não existam dois investidores iguais, certas caraterísticas comuns permitem formar grupos mais ou menos homogéneos. Um desses grupos é aquele que fixa regras simples que têm a ver com a comparação entre o preço de compra e a cotação, por exemplo regras deste género:

– Nunca vender a perder

– Vender quando se está a ganhar um pouco, tipo 20%

Repare-se que estas duas regras permitem aos investidores que pertencem a este grupo afirmar, a si mesmos e ao mundo, que “nunca perderam no mercado de ações” e que “venderam sempre a ganhar”. Estas frases fortes impressionam qualquer leigo, mas será que esta é uma boa estratégia de investimento?

Vou testá-la, nos 20 anos entre setembro de 1999 e setembro de 2019, com as ações que pertencem atualmente ao PSI20. Para tornar o teste exequível e 100% objetivo vou fixar as seguintes regras:

– O investidor compra sempre 1.000 € de cada ação;
– Nunca vende a perder;
– Vende quando está a ganhar 20%;
– Se e quando a ação volta ao preço original de compra, volta a comprar.

Ou seja, se o investidor estiver a perder, aguenta. Se se apanhar a ganhar 20%, vende. E se depois de vender voltar a ter a oportunidade de comprar ao preço original, compra novamente e, caso tenha a oportunidade, volta a vender a ganhar 20%.

Tendo em conta estas condicionantes, nos últimos 20 anos teriam sido realizadas as seguintes 57 transações:

vende sempre a ganhar

Nota: se desejar pode fazer o download da folha de excel aqui

Confesso que fiquei surpreendido por o resultado global ser positivo, porém o estudo peca por não incluir ações que estiveram no PSI20 e que entretanto saíram, como por exemplo as seguintes que perderam praticamente 100% do seu valor: BES, Espírito Santo Financial, Banif e SAG Gest.

Mas, considerando apenas as 18 ações atualmente no PSI20 e um investimento inicial de 18 000 €, o retorno, sem contar com dividendos nem comissões de transação, ao final de 20 anos, teria sido de 15,9%, ou 0,74% ao ano.

É um retorno sofrível, mas ainda assim muito melhor que o do PSI20, que foi de -49,3% no mesmo período:

Gráfico PSI 20 últimos 20 anos

Certas ações estiveram bastante tempo mergulhadas num trading range que beneficiou a estratégia deste grupo de investidores, mas mesmo assim os resultados são fraquinhos… acho excessivo os investidores que seguem esta estratégia aparecerem como os campeões da bolsa, os fortes, os que ganham sempre! Podem “ganhar sempre” e “nunca perder”, mas no longo prazo também não saem muito do sítio.

De seguida vou estudar os resultados de outro grupo de investidores, aqueles que só compram e nunca vendem. Estou curioso…

César Borja

Quer saber quando publicarmos mais artigos como este? Preencha o formulário e receba o alerta no seu email:

Pesquisar

Receba o E-book GRÁTIS

SIGA-nos

JUNTE-SE AO NOSSO Grupo NO Facebook

Receba a nossa Newsletter Gratuita

Receba as notícias e novidades do Borja On Stocks no seu email.